Dois anos de planejamento e 21 dias na Coréia

Viajar sozinho para o destino dos sonhos pode ser muito mais fácil de realizar do que você imagina. Basta se organizar com antecedência, que a viagem pode sair do papel. Essa é a lição de Marianna Silva, que planejou durante 2 anos a sonhada viagem para a Coréia, um destino distante cheio de experiências e histórias incríveis.

Para viajar seguro para qualquer destino, aproveite o cupom promocional PARAONDEFOR que oferece 50% de desconto no Seguro Viagem Allianz .

Planejamento

“Para começar a desenhar essa viagem, tenho que voltar cerca de dois anos no tempo. Comecei todas as pesquisas e estimativa de custos com dois anos de antecedência e criei uma planilha onde ia colocando os valores que já tinha e incluindo os passeios que queria fazer. Dessa forma, conseguia estimar meus gastos e quanto ainda faltava para transformar esse sonho em realidade. Nessa planilha tinham todos os locais de visita, em português, inglês e em coreano (Hangul)”, conta Marianna.

Companheiro Halph, no Parque Taejongdae

Aliás, para quem acha que a Marianna foi sozinha, está muito enganado. Em todas as suas aventuras Marianna inclui um acompanhante econômico e muito bonzinho, o Ralph. “Fui sozinha, quer dizer com o Ralph, meu ursinho de Pelúcia, que me acompanha em todas as minhas aventuras”, conta brincando.

E lá se foram os dois juntos passear pela Coréia, que é hoje um dos destinos mais interessantes da Ásia. Considerada um País exemplar, sua história de renovação e sucesso é inspiradora. Depois de longos anos na miséria, após tempos de Guerra, se tornou um dos países mais desenvolvidos do mundo. Lugar onde a tecnologia de ponta divide espaço com a cultura de um povo simples e acolhedor. Com certeza, um destino muito interessante para viajar nas férias e voltar cheio de experiências positivas.

“A vontade de conhecer um país que consegue alinhar modernidade com história sempre foi um dos pontos que mais me chamou atenção. É um país que foi muito afetado pela Guerra, já passou por invasões chinesas e Japonesas e após a guerra da Coréia com a divisão em duas penínsulas o país teve um crescimento invejável. Se tornou uma das maiores economias mundial e um dos países mais desenvolvidos e avançados tecnologicamente”, comenta Marianna, que também se interessou pela cultura coreana desde 2012.

“Assistia muitos Animes (desenhos) e doramas (Novelas coreana), depois de um tempo comecei a me interessar pela música e pela cultura do país”, acrescenta Mari.

Diante de tantas motivações, Mari conseguiu concretizar o sonho de conhecer a Coréia do Sul, em agosto de 2018.

Foram dois anos de planejamento, 21 dias de viagem – sendo 16 dias inteiros no destino – e 30 pontos turísticos visitados. Ela divide alguns dos principais pontos turísticos que conheceu com a gente, e recomenda a visita .

Pontos turísticos obrigatórios na Coréia:

Cidade: Seoul

Myeong-dong (명동)

É uma das principais zonas comerciais de Seul, com lojas de varejo de médio a alto preço e marcas internacionais, incluindo Lacoste, H & M, Zara, Forever 21, Bulgari e Louis Vuitton, além de marcas de cosméticos coreanas como a Nature, República, Missha, The Face Shop e Skin Food. Melhor lugar para comprar maquiagens. No bairro existem várias casas de câmbio que oferecem uma melhor taxa para troca de dinheiro.

Hongdae (홍대앞)

Hongdae é um bairro localizado perto da Universidade Hongik, conhecido por sua atmosfera jovial e cheio de atrações para turistas e nativos. Hongdae é famoso por reunir diversos artistas que se apresentam nas ruas do bairro. Andando pelo bairro é possível encontrar cafés exclusivos, como o da Hello Kitty, acolhedoras galerias, lojas de acessórios e moda, as famosas lojas de 10.000 Won (3 peças de roupas) e as baladas mais legais de Seoul estão aqui.

Gyeongbokgung Palace (경복궁) /Changgyeonggung Palace (창경궁) / Changdeokgung Palace (창덕궁)

Os palácios são uma viagem no tempo e na história e cultura da Coréia. São construções feitas em locais junto a natureza e uma verdadeira beleza aos olhos. Os visitantes do castelo podem vestir Hanbok (Vestido tradicional coreano) e sentir –se como parte da vida no castelo.

Namsan Seoul Tower (남산서울타워)

Impossível ir para Seoul e não visitar a Seoul Tower, o cartão postal da cidade. Localizada no monte Namsam, ela marca o ponto mais alto em Seoul. A maior parte de Seoul pode ser vista a partir do topo. Primeira dica é: Utilize o teleférico para subir, porque a quantidade de degraus é inacreditável.

Cheonggyecheon (청계천)

É um riacho urbanizado localizado em Seul, Coreia do Sul, que possui em suas margens um moderno espaço público de recreação. Era um esgoto a céu aberto e foi totalmente restaurado, tornando-se o maior parque horizontal urbano do planeta.

Cidade: Busan Busan

Gamcheon Culture Village (부산 감천문화마을)

A vila começou como uma favela construída por refugiados da Guerra da Coréia, na década de 1950, mas pintando brilhantemente suas casas, a vila se transformou em uma das atrações turísticas mais visitadas em Busan. As casas estão em uma montanha íngreme e são pintadas com cores bem vivas, por isso é apelidado de “ Machu Picchu de Busan”.

Haeundae Beach (해운대해수욕장)

Haeundae Beach é uma praia localizada em Busan, na Coréia do Sul, e é considerada uma das praias mais famosas e belas da Coréia. Existe praia na Coréia e é linda demais.

“A Coréia tem lugares para todas as pessoas, de todos os tipos, e é uma cidade que funciona 24 horas, portanto você não vai se arrepender”, conclui Marianna.

Gastronomia na Coréia, segundo Marianna:

“Provei muitas comidas diferentes. Na Coréia existem grandes mercados que funcionam a noite e você consegue provar diversos tipos de iguarias. Nesses mercados consegui provar desde Gamjajeon, que são panquecas feitas de batata, até Sannakji, que consiste em um polvo que acabou de ser cortado em pequenos pedaços e temperado com gergelim, é servido ainda se mexendo.

Apesar dessas iguarias, é possível achar muitas comidas de gosto popular e extremamente gostosas e, mesmo na Coréia, existem redes de Fast Food, como Mac donalds ou Lotte que é a rede mais popular e tem um hambúrguer de camarão delicioso.

Primeiramente, se preparem para as comidas apimentadas, pois são bem apimentadas e desista de achar algo salgado para o café da manhã. Todos os pães são doces. Acredite se quiser, eu pedi um misto quente em uma padaria e era doce.

Não posso esquecer de indicar a melhor sobremesa de todas, o sorvete de 32 cm por apenas 2000Won”, detalha Marianna ;).

Dicas para viajar para Coréia:

1º – Passeie sem medo – “Não tenha medo de explorar coisas novas, o país é extremamente seguro e as coisas só irão acontecer se você se permitir”, indica Marianna.

2º – Prepare-se fisicamente – “Faça exercícios físicos regulares, pois você vai andar muito e existem muitas montanhas e escadas. Tenho vídeo de velhinhos me ultrapassando em uma subida”, se diverte Marianna ao lembrar da cena.

3º – Coma o que te der vontade – “Experimente todas as comidas e você vai ficar apaixonado”, recomenda ela.

4º – Divirta-se na rua –  “Beber Soju na rua e assistir grupos de KPOP dançando em Hongdae é uma diversão”, ensina Mari.

5º – Jogos – “Não jogue nos ARCADES e máquinas de pegar bichinhos. Você vai perder todo o seu dinheiro nisso. São lojas que ficam abertas em todas as ruas, só entrar e jogar”, alerta.

6º – Faça um Seguro Viagem – Em qualquer lugar do mundo e principalmente num destino desconhecido é importante viajar com um Seguro Viagem que te ofereça atendimento em português e assistência 24h. É uma segurança a mais de aproveitar tudo o que o destino tem a oferecer sem medo. Até mesmo para experimentar a culinária sem ter receio se o prato vai ou não cair bem.

Marianna viajou com o Seguro Viagem Allianz, mas não precisou usar nenhuma das  coberturas oferecidas. Se você têm interesse em conhecer o Seguro Viagem Allianz, clique aqui e faça uma cotação.

Hospedagem na Coréia – Que tal um Hostel?

Como Marianna estava sozinha e seu acompanhante Raplh não fazia questão de uma cama muito grande, ela optou em ficar num Hostel.

“O Hostel que fiquei chama “Michigan House e Pub”. Era Hostel em cima e um Pub embaixo, o que facilitava muito a comunicação entre os hospedes. Super recomendo. Não tive nenhum problema e como cheguei com atraso, foram muito prestativos em me passar todas as senhas e passo a passo para acessar o hostel quando chegasse após o horário de Check-in”, recomenda ela.

“Dividi o quarto com mais 8 meninas, um grupo de amigas francesas que viajaram juntas. O lado positivo foi conhecer pessoas de diferentes partes do mundo (França, Alemanha, Inglaterra, etc.) e todos abertos a viver experiências e dividir situações constrangedoras. Já o ponto negativo era ter que dividir o banheiro e ter que tomar banhos mais rápidos. Se for uma pessoa desapegada, recomendo bastante que fique em um hostel, é uma experiência libertadora”, detalha Mari.

Como trocar o dinheiro na Coréia?

A Moeda na Coréia é Won, para facilitar a conversão é mais fácil utilizar a lógica que cada 1000 won corresponde a 1 Dolár.

Lembrem-se que temos dois processos de troca de moeda, primeiro trocamos aqui no Brasil o Real por Dolár e chegando na Coréia trocamos o Dolár por Won.

Como se virar com o idioma na Coréia?

Esse foi um dos pontos que mais deixou Marianna preocupada, pois ela sabia apenas saudações em coreano.

“Primeiro sempre perguntava em Inglês, caso a pessoa não entendesse partia para os gestos. Comunicação verbal e não verbal concluída com sucesso”, brinca Marianna.

Quantas horas de voo do Brasil até a Coréia?

O voo original deveria ser de 29h40 minutos. Faria escala em Houston e São Francisco. Mari escolheu uma companhia que passava pelos Estados Unidos, porque ela já possui visto Americano, mas nem tudo sai como o planejado e as escalas e fez com que a viagem demorasse um pouco a mais.

“Devido a um atraso na conexão de Houston para São Francisco precisei trocar a minha conexão. Desta forma a minha Viagem demorou 39h40 minutos, ou seja, cerca de 10 horas de atraso na chegada devido ter feito conexão no Japão e depois seguir para Coréia. Preparem-se para muito tempo em aeroportos e conversando com estranhos”, ensina Marianna que viveu esse imprevisto com bom humor.

Apesar das horas a mais até chegar ao destino, Marianna gostou de ter voado com a  companhia United Airlines

“Todos foram extremamente prestativos. Tive um atendimento ótimo e adorei a alimentação. Normalmente no café da manhã tinha opção de panquecas e omelete e no almoço podia escolher entre massa, frango com legumes e carne”, recomenda.

Já no aeroporto, a comida do avião dava boas vindas a região. “Na última conexão saindo do Aeroporto de Narita (Japão) para o aeroporto de Incheon (Coréia) serviram um jantar que tinha como base Tofu Negro e era bem fedido, mas descobri que esse tipo de Tofu é uma iguaria muito apreciada. Tentei comer, mas o gosto não agradou tanto o meu paladar”, conta Mari.

Quanto custou a viagem para Coréia?

Marianna contabilizou uma média de valor entre passeios, alimentação e hospedagem, porém tudo foi com bastante pesquisa e alguns passeios foram comprados com antecedência para conseguir um preço melhor.

“O gasto foi em torno de R$14 mil reais para comer muito bem, comprar coisas e conseguir fazer todos os passeios que estavam na minha lista, que foram mais de 30 pontos turísticos”.

Sobre Viajar sozinha para a Coréia

Uma viagem a sós pode render aprendizados que vão além das experiências do destino em si. Nesse sentido, vencer desafios pessoais, se conhecer melhor e curtir a viagem no seu tempo são alguns dos benefícios que Marianna garante ter aproveitado.

“Aproveitei essa oportunidade para me conhecer mais, testar meus limites e me aventurar diante do Mundo. Garanto que as experiências que tive mudaram muito a minha perspectiva sobre o mundo e sobre a vida. Garanto que a sensação de liberdade e independência ao viajar sozinho é muito grande”, certifica.

Vale a pena viajar para a Coréia?

Quando o Para Onde For perguntou se a escolha do destino valeu a pena, Mari não teve dúvidas em responder:

“Atendeu e superou todas as minhas expectativas, teria que fazer um livro para contar todas as experiências vividas e micos que tive o prazer de pagar em um país desconhecido”, afirma satisfeita.

Uma das coisas que mais surpreendeu Marianna foi a receptividade dos Coreanos. “Sempre achei que coreanos seriam fechados, porém em todos os lugares eles paravam para me ajudar e perguntar se precisava de ajuda, mesmo os mais velhos que não sabiam falar inglês tentavam se comunicar de alguma forma”, confirma ela.

RESUMO DA VIAGEM

Destino – Coréia

Quantidade de dias – 21 dias, sendo 16 no destino

Companhia Aérea – United Airlines

Hospedagem – Hostel “Michigan House e Pub”

Quanto custa viajar para a Coréia? – Aproximadamente R$ 14 mil 

E você? Para qual destino está planejando viajar?

Se já fez a viagem dos sonhos e tem dicas para compartilhar, vem contar para a gente sua experiência, comente aqui o destino que você foi. Com as suas informações faremos uma matéria para ser postada aqui no Para Onde For. Vem participar e compartilhar suas experiências.

Juliana Fernanda

Juliana Fernanda dos Santos Ferreira, jornalista pós-graduada em Comunicação Corporativa. Adoro novidades com conteúdo. Passear em família é a melhor programação, afinal todo lugar tem algo a se aproveitar e em boa companhia tudo fica ainda melhor.

COMENTÁRIOS