Para uns viajar é sinônimo de férias, para outros é trabalho. Conheça algumas curiosidades da vida de comissária de bordo

Já parou para pensar em como é a vida de uma comissária de voo? Curioso, não?! Fomos em busca de informações e entrevistamos a bela comissária Thais Macedo de Souza, de 24 anos. Aqui ela vai contar um pouquinho de sua rotina diária pessoal e profissional. Apertem os cintos!

Seguro Viagem –  Utilize o cupom PARAONDEFOR  e economize 30% no Seguro Viagem Allianz. Clique aqui!

Rotina não existe na vida dessa comissária. Ela precisa estar sempre preparada para enfrentar noites em claro, diferença no fuso horário e garantir a segurança de passageiros que embarcam todos os dias com destino a América do Sul, sua área de cobertura na companhia aérea em que trabalha.

“Na profissão de comissária de voo, podemos fazer até 5 voos em um dia de trabalho, sendo que essa jornada de trabalho não pode exceder a 11 horas. Também temos um limite de horas de voo diárias que é de 9h e 30min. Quando trabalhamos no período noturno, esse limite de horas diminui um pouco”, explica Thaís.

Parece muito tempo de trabalho sem pisar em terra firme. Mas ela já está acostumada, começou na profissão aos 21 anos. O sonho da carreira, já vem de mais tempo, desde os 12 anos.

Assim como muitos turistas são motivados a viajar graças as cenas de filmes, o que despertou em Thaís foi o desejo de trabalhar como comissária.

“Me lembro que tinha mais ou menos 12 anos de idade e assisti ao filme “Voando Alto”. Me inspirou muito e comecei a pesquisar sobre a profissão. Desde então não saiu mais da minha cabeça a vontade de seguir a profissão.”, comenta a jovem comissária.

Assim que ela finalizou o ensino médio já entrou para o curso de Comissária de Voo na Escola de Aviação CEAB, em Pinheiros, São Paulo.

A preparação para seguir essa carreira não é tão simples assim. Além do curso, as comissárias de voo é necessário tirar o Certificado Médico Aeronáutico (CMA). Esse documento garante que a profissional está em boas condições física e mental para exercer a função. Depois disso, é também precisa fazer um exame da Anac – Agência Nacional de Aviação Civil. Após receber a aprovação nesse exame é que os profissionais podem começar a se candidatar para as vagas de comissário de voos nas empresas aéreas.

“Comecei a voar com 21 anos. Porém já trabalhava no aeroporto desde os 18. Enquanto a oportunidade de ser comissária não chegava, atuei por 3 anos como Agente de Aeroporto, em Congonhas. Cuidava das áreas de check in e de embarque de passageiros.

Dentro da Aeronave

Zelar pela segurança é a principal tarefa da profissão.Assim que chego no avião tenho que checar os equipamentos de emergência, ver se está tudo em perfeito funcionamento, dentro do prazo de validade e checar se precisa trocar algum equipamento”, explica Thaís.

Os profissionais também são responsáveis por checar a limpeza das aeronaves para receber os próximos passageiros, receber e checar o serviço de bordo dos passageiros e da tripulação, ajudar na acomodação de passageiros e auxiliá-los onde colocar as bagagens, além de dar assistência à passageiros com necessidades especiais.

“Com todos embarcados, fechamos a porta do avião e, antes da decolagem e do pouso, verificamos se todos estão com o cinto afivelado, poltrona na vertical e equipamentos eletrônicos em modo avião”, afirma a jovem.

Após a decolagem os comissários realizam o serviço de bordo e atendem as solicitações de passageiros durante o voo. “Em caso de turbulência temos que orientar a todos que se mantenham sentados e com o cinto afivelado e também se houver qualquer pessoa precisando de assistência médica temos o curso de primeiro socorros que nos auxilia ao atendimento primário antes da chegada de algum médico ou ambulância quando pousarmos.”, explica ela, mas tranquiliza ao lembrar que raramente acontece alguma anormalidade que seja necessária assistência médica para passageiros.

A vida sem uma rotina diária

Para os profissionais que atuam na área, a vida segue sem uma rotina fixa diária, sem horário certo para dormir e muito menos para acordar.

“Costumo dizer que comissária de voo não tem rotina pois as vezes saímos para trabalhar 2h da manhã e outras voltamos do trabalho esse horário. É um pouco difícil para o corpo acompanhar esses horários diferentes no começo. Mas depois acabamos nos acostumando dentro das possibilidades. Tentando dormir cedo para acordar de madrugada ou dormindo de dia para trabalhar a noite.”, explica.

Todos os meses acontecem da mesma forma, as comissárias recebem 5 dias antes  a sua escala de trabalho e folga. No mínimo 10 folgas mensais devem ser liberadas para cada profissional e entre os dias deve haver pelo menos um fim de semana de folga.  Também faz parte da regra o limite de 6 dias trabalhados, não podendo estender esse tempo sem que haja uma folga.

Para segurar a onda desse trabalho e não desanimar, Thaís capricha nos cuidados com a saúde. “Quando estou em casa tento manter uma rotina de sono para recuperar o cansaço do trabalho. No dia a dia faço uma boa alimentação e pratico exercícios físicos para fortalecer a imunidade”, comenta a comissária.

Conhecendo vários destinos

Entre as vantagens de ser comissária é a oportunidade de conhecer vários destinos e culturas. Em um de seus voos para destinos nacionais, Thaís teve a oportunidade inesperada de conhecer a bela cidade de Porto Seguro, sul da Bahia.

“Um dia, ao  ousarmos em Porto Seguro foi verificado que o avião teria que passar por manutenção. O próximo voo teve que ser cancelado e todos nós ficamos em Porto Seguro. A parte boa é que eu não conhecia a cidade e não estava planejado que ficaríamos lá. Estava um dia maravilhoso a cidade é alegre e acabamos aproveitando muito mais”, lembra Thaís.

Além do Brasil, Thaís teve a oportunidade de conhecer ao todo sete países, em apenas três anos de trabalho. Além do Brasil, já viajou para o Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai, Colômbia e Peru. Mas a cidade que a encantou foi Fortaleza, no Ceará.

“Fortaleza foi um lugar que eu conheci a trabalho, mas fiquei com muita vontade de voltar e voltei sem estar trabalhando. Fiquei encantada com as praias, variedade de passeios e também pela culinária”, recomenda ela.

Momentos de tensão

Thaís também já viveu momentos difíceis dentro da aeronave. “Estávamos decolando do aeroporto de Rio Branco com destino a Brasília quando de repente entrou um pássaro em um de nossos motores. O motor foi danificado e tivemos que retornar ao aeroporto de Rio Branco. O voo teve que ser cancelado e voltamos para casa em outro avião dois dias depois”, conta a jovem.

A ajuda e a tranquilidade da tripulação foi essencial nesse momento. “Os passageiros não perceberam, mas toda a tripulação sim, pois era um barulho muito diferente do normal. Toda situação foi resolvida com calma e segurança, que sempre deve ficar em primeiro lugar”, destaca.

Os prós e contras da vida de comissária

Apaixonada pela profissão, Thaís garante que existem vários benefícios e qualidades de ser uma comissária de voo. “Você tem a oportunidade de conhecer muitos lugares, tem fácil acesso às passagens para viajar para qualquer país do mundo, experimentar a culinária de inúmeras cidades, poder ver o nascer e por do sol lá de cima”, sem contar que o profissional também sempre contribui para o crescimento pessoal.

“Adquiri experiência e maturidade que ganhei de muitas vezes em ter que me virar sozinha ou resolver muitas situações no dia-a-dia do trabalho e também em acabar me adaptando a lidar e trabalhar com pessoas diferentes todos os dias”, comenta.

Na vida de uma comissária, normalmente a saudade de passar mais tempo com a família é um dos pontos negativos, mas que logo conseguem ser driblados nas folgas em dias de semana, enquanto todos estão na correria.

“O único lado negativo para mim é ficar longe da família quando você quer estar perto num aniversário ou em datas comemorativas, a falta de rotina atrapalha um pouco,  mas também é bom poder ter a flexibilidade de horários que temos, e não estar presa só aos finais de semana para curtir as folgas”, descreve Thaís.

Curiosidades de uma comissária

Qual a melhor culinária que já provou?

“Não tenho uma culinária favorita, mas sim um prato favorito de cada lugar. Pra mim o melhor açaí é o de Manaus. As empanadas e a carne Argentina são inigualáveis. Se for para Fortaleza, não pode deixar de trazer as castanhas. Cada lugar acaba te conquistando de alguma forma”,  esclarece.

O melhor destino e ponto turístico que já conheceu?

“A Catedral do Sal, em Bogotá, na Colômbia”, indica.

Como é a sua mala de viagem?

Ela é pequena. Sempre levo como bagagem de mão no avião. A empresa fornece a mala e é do tamanho exato que podemos levar.

O que não pode faltar na mala?

Tênis, roupa para academia e pijamas. Temos pouquíssimo tempo nos hotéis então aproveito para descansar e ir na academia. Quando fico em algum lugar por mais tempo ou quando nas proximidades do hotel tem algo para fazer, aproveito para passear.

Entre seus hobbies favoritos, Thaís adora cozinhar, fazer caminhada em alguns parques, ir ao cinema, comer em lugares diferentes e assistir seriados. Nas férias ela adora ficar em casa e viajar para lugares em que ainda não conhece.

Dicas da Thaís para quem deseja ser comissária de bordo: 

  1. Saber falar inglês – Para ingressar na profissão é imprescindível. Atualmente todas a companhias pedem que você tenha fluência no idioma. Algumas são mais flexíveis e também autorizam somente com o espanhol.
  2. Iniciar o curso de comissária assim que puder – Estude muito .
  3. Não desistir – O mercado da aviação é um pouco instável, existem períodos de grandes contratações e também períodos mais escassos quando praticamente nenhuma empresa está contratando. É preciso ter paciência e não desistir do seu sonho, pois a hora de cada um é única.

Para quem tem medo de andar de avião, a dica é pensar no quão seguro é viajar de avião se comprado a outros transportes. “Vale pensar nos milhares de voos que acontecem por dia sem que absolutamente nada que afete a segurança aconteça. Sem contar que os comissários vão estar ali o tempo todo pra te auxiliar, tirar dúvidas e acalmar no que for necessário. Pense, você não está sozinho!”, assegura Thaís.

Já pensou que bacana se um dia você embarcar no avião em que Thaís trabalha! Com certeza você será bem atendido.

 

Juliana Fernanda

Juliana Fernanda dos Santos Ferreira, jornalista pós-graduada em Comunicação Corporativa. Adoro novidades com conteúdo. Passear em família é a melhor programação, afinal todo lugar tem algo a se aproveitar e em boa companhia tudo fica ainda melhor.

COMENTÁRIOS