Seguro Viagem é uma das opções para garantir atendimento médico ao turista, sem preocupações com gastos imprevistos.

Se você pretende viajar ou morar nos EUA por um tempo e está em dúvida de como funciona o atendimento médico no País, chegou a hora de tirar as principais dúvidas sobre o sistema de saúde que é praticado no destino.

Para começar, vale lembrar que o atendimento lá é igual para todos, nativos ou estrangeiros. Não há sistema público de saúde, todos os hospitais, clínicas e consultórios são privados, porém há acesso de qualidade para todos e ninguém fica sem atendimento em caso de necessidade. A grande questão é o quanto isso custa e como funciona na prática.

O Para Onde For conversou com a brasileira Gabriela Valentim Larogian, de 25, que mora nos EUA há quatro anos. Ela viajou para estudar inglês e conseguiu boas condições de vida em Maryland, estado em que mora. Casada, hoje ela está grávida do seu primeiro filho, Luke, que vai nascer no início de 2018.

Gabriela e seu marido Bruno Larogian, 31 anos, que mora nos EUA há aproximadamente 10 anos. (foto: arquivo pessoal)

Ela comenta que pouco precisou usar, mas que apesar de não existir serviço público de saúde o atendimento oferecido pelos planos é organizado e satisfatório. “O atendimento é bom, um pouco diferente e menos pessoal do que estou acostumada no Brasil. Tem uma espera razoável nos Urgent Care Office, que são consultórios de atendimento emergencial, diferente de um hospital, mas em geral o atendimento é bem padronizado e você sabe o que esperar em qualquer clínica que você for”, explica Gabriela.

Quanto custa?

Na época em que viajou para estudar ela contou com o suporte de um Seguro Viagem incluso no pacote contratado na agência que oferecia cobertura para atendimento médico e hospitalar. Atualmente ela conta com o Plano subsidiado pela empresa em que trabalha.

“Assim como no Brasil, o empregador paga uma parte e eu pago outra. Considero meu plano bom, o total que sai do nosso bolso é aproximadamente $400, por mês, mas não é um plano familiar, esse valor é apenas para mim e meu esposo. Quando adicionarmos o bebê o valor subirá um pouco”, detalha.

Como buscar auxílio médico?

Na prática, quando você precisa de ajuda médica nos EUA, o primeiro passo é se direcionar a uma Urgent Care Clinic para realizar a primeira consulta. Ali será realizada uma consulta, indicado os medicamentos e o encaminhamento correto, em caso de necessidade. “A Urgent Care é uma espécie de primeiro atendimento e também uma opção mais barata se comparada ao Emergy Room do hospital, que é mais indicada para acidentes ou casos mais graves”, comenta ela, que afirma que a saúde no destino é boa, porém bastante cara.

Leia também: O preço da saúde no exterior

Para consultas eletivas funciona da mesma maneira que no Brasil, quando se tem um plano de saúde. O método mais comum é procurar o especialista que precisa no site do plano e ligar para agendar uma consulta. É necessário informar os seus dados e do seu plano e então é feito o agendamento, que dependendo da especialidade e da demanda do consultório pode demorar algum tempo até a consulta.

Gabriela espera o Luke, que nasce em fevereiro de 2018. (Foto: arquivo pessoal)

No caso de Gabriela, que está gestante e precisa fazer o pré-natal e realizar visitas periódicas, o médico generalista que ela costuma passar anualmente o instruiu a procurar um ginecologista obstetra. “Eu tenho um médico geral, conhecido como Phisician o Primary Care Doctor, que eu passo uma vez por ano para fazer check-up ou de acordo com a necessidade. Quando descobri a gravidez ele me aconselhou a procurar um ginecologista obstetra para iniciar o pré-natal”, comenta a bancária.

A partir daí, Gabriela procurou o especialista junto ao seu Plano e os atendimentos começaram a ser mensais.

“Eu entrei no site do meu plano, encontrei um consultório que aceitasse o plano e marquei minha primeira consulta que foi a de confirmação da gravidez. Agora minhas consultas são mensais. Em uma gestação que não é de risco, geralmente eles fazem de 3 a 4 ultrassons, além disso eu passo por todos os médicos da clínica durante as consultas. Isso acontece porque não sabem quem estará de plantão no dia do parto, então eu me familiarizo com todos os doutores”, conta satisfeita.

SEGURO VIAGEM – Para os turistas que desejam viajar a passeio ou morar por um tempo no destino para estudar, Gabriela orienta a buscar um Plano de Seguro Viagem.

“O ideal é contratar um Seguro Viagem, desta forma se caso precise de atendimento durante sua estadia você estará coberto pelo seguro e não vai precisar estragar a viagem se preocupando com o tamanho da conta do hospital”, ensina a jovem, lembrando que o atendimento é o mesmo para todos, independente do nível social ou status no país.  “Um hospital não poderia chamar a imigração caso se depare com um paciente ilegal e também não poderia negar atendimento, mas no final vai ter a conta desse atendimento”, conclui.

Se você está de viagem marcada para os Estados Unidos, conheça o Seguro Viagem Allianz, com assistência 24h e atendimento em português, por telefone e e-mail. Ao todo, são 25 coberturas, incluindo atendimento médico e hospitalar. O melhor é que leitores do Blog contam com desconto de 20% ao utilizar o cupom PARAONDEFOR. Clique aqui e faça uma cotação.

Tem dúvidas sobre o atendimento médico nos Estados Unidos? Deixe sua mensagem ou dicas nos comentários 😉

Juliana Fernanda

Juliana Fernanda dos Santos Ferreira, jornalista pós-graduada em Comunicação Corporativa. Adoro novidades com conteúdo. Passear em família é a melhor programação, afinal todo lugar tem algo a se aproveitar e em boa companhia tudo fica ainda melhor.

COMENTÁRIOS